-_-

A Silvia Duprat, Lúcia Campos, António Rosa
minha gratidão pelo amparo a este trabalho.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Em que Terra estarei...

Desde que o Manual para um Monólogo Amoroso foi acessado tenho convivido com ele. Alguns conteúdos já pude compreender, outros ainda não. Alguns conhecimentos já integrei, com outros vou aprendendo a ser paciente, confiando que há um tempo exato para manifestar tal integração. Assim, resolvi expressar em voz alta algumas sensações, para que outras partículas me ajudem a compreendê-lo melhor.
Por exemplo, o tema Transição Planetária é no momento um dos que mais chamam a atenção daqueles que acreditam que a Terra está passando por um processo de sutilização e se encaminha a uma dimensão superior.
Segundo o Manual:
“Há múltiplas Terras em 3ª Dimensão existindo paralelamente. Elas abrigam experiências de consciências tridimensionais”.
Minha compreensão a respeito desta afirmação sugere que ininterruptamente escolhemos linhas de experiência para vivenciar, que nos transportam a diversas Terras em trânsito.
Como “matéria é um estado de consciência” é com a consciência que nos transportamos (muitas vezes sem perceber) pelas diversas Terras. Em uma, poderíamos ter experimentado um resultado X, em outra, um desfecho completamente diferente.
Todas estas Terras existem simultaneamente, o que as difere são os enredos que elas contêm. Em algumas, os conteúdos da transição apresentam-se catastróficos, em outras ainda sequer existem imaginários da transição. E, em outras, o episódio Transição Planetária estará transcorrendo suavemente.
O que nos ilude e faz crer que não realizamos continuamente este transporte de uma Terra a outra é a aparência de que os personagens com os quais convivemos e o cenário que criamos permanecem os mesmos. E isto é, de fato, mera aparência porque personagens vêm e vão em nosso sonho. Alguns vão definitivamente, quando deixam os corpos, outros vão porque se ausentam de nosso enredo, enquanto novos chegam. E mesmo os que ficam, transformam-se continuamente. De forma semelhante, os cenários também mudam.
Assim, tenho considerado que cada escolha que eu manifesto, me transporta para Terras diferentes, sem que eu mesma perceba.
Por que isto tem alguma importância?
Primeiro porque me ajuda a compreender quem Eu Sou.
Depois, porque me faz crer que se eu aprender a ser Mestre em meu sonho, há uma Terra cujo enredo me acompanhará em Luz, Amor e Harmonia. E é nesta Terra que eu quero Existir. Cada partícula do que Eu Sou está mais próxima ou mais distante desta Terra. Isto pouco importa já que todas estarão juntas no Agora contínuo. Todavia, quanto mais vamos nos tornando Mestres, mais nos aproximamos do enredo desta Terra, através de nossa consciência, que é o nosso veículo condutor. Nossa Merkabah.
Desse modo, a Terra em que estou define e é definida pelo que Eu Sou no enredo do meu sonho, neste instante. “Seja Mestre no seu sonho e todo o enredo o acompanhará”.
Nesta Terra em transição na qual me encontro – este organismo vivo - cada partícula possui seu próprio papel, como nas células de meu corpo. Todas têm participação ativa e fundamental para a sustentação material do sonho, ou seja, para a sustentação da tela em 3ª Dimensão. Melhor dizendo, de todas as telas paralelas em 3ª Dimensão. Algumas partículas têm a função de matar, como um vírus que ataca meu organismo e me ensina a ser mais resistente ou forte. Outras têm a função de transmitir informações vitais ou potenciais, como os neuro-transmissores que me auxiliam nas sinapses, ou aquelas “células premonitoras” que me emitem alertas. Outras ainda têm a função de transmitir luz, enquanto outras se apresentam desequilibradas para me mostrar o caminho da cura e da transmutação pelo Amor. Todas são invariavelmente importantes e necessárias para a expansão de minha consciência.
“Amarás a ti mesmo porque assim estarás Amando o Todo”.
À medida que eu consiga gradualmente integrar esta Lei essencial, irei me transportando gradualmente para várias Terras paralelas. Em cada uma delas, o enredo será diferente, com personagens diferentes ou transmutados. Tal qual acontece quando gradualmente harmonizo meu corpo, ao existir em conformidade com minha própria natureza, e as células se transfiguram.
Chegará o momentum em que será “Assim na Terra como no Céu”.
Até lá, vou experimentando o enredo do meu sonho, convicta de que tudo está em perfeita ordem com o Plano Divino.
Nesta Terra em transição na qual habito, há ainda partes a transformar pelo Amor.
Em outras Terras, os conteúdos já foram transmutados.
Por isso Gaia é generosa. Ela se apresentou para ser o berço amoroso de um Anjo, tal qual nosso próprio corpo se configurou para ser uma das Casas do Espírito.
Como ainda tenho partes a transformar pelo Amor, Gaia me reflete.
Por isso tenho feito um exercício que gostaria de partilhar...
Freqüentemente pergunto ao nosso Corpo de Luz:
Onde está meu oriente?
Onde está o meu meio?
Meu Oriente Médio está próximo ao meu coração?
Minha Jerusalém é o meu próprio coração?
E quem são meus judeus que voltam e voltam e voltam feito sinais?
O que eu preciso Amar para que a Semente floresça em minha Nova Jerusalém?
Jeru Jeru Salem!
Perguntem...
E o Corpo de Luz amorosamente responde... Na medida...
(continua...)

6 comentários:

António Rosa, José disse...

Adriana

'é nesta Terra que eu quero Existir'

esta parte de uma frase sua sintetiza que tudo é consequência de uma escolha nossa.

Belo texto.

adriana disse...

António,
E de quem mais poderia ser, não?
Parece que esta é a única responsabilidade que nos cabe assumir...
Já que nos resta só a "memória cármica".
A&L

Isa Grou disse...

Olá Adriana,

Belíssimo texto... parabéns!

Somos um Micro-cosmo dentro do Macro-cosmo...... tenho certeza...........

Gostaria de aproveitar a oportunidade para mais uma vez te agradecer Adriana..........pela agradável companhia, pelo bate-papo agradabilíssimo que tivemos todos e pelo carinho, ontem no Cova do Urso, viu! MUITO OBRIGADA!!

Beijos.

adriana disse...

Querida,
Eu é que tenho que agradecer a oportunidade que você nos deu para celebrar, viu?
:))

Astrid Annabelle disse...

Adriana..
esta leitura está me encantando.
São fatos e situações que já conhecia mas nunca havia sido tão bem explicado.
Beijo.
Astrid Annabelle

adriana disse...

Querida Astrid,
Como eu digo sempre, sou um bebê para todo este Conhecimento.
Talvez ele tenha sido amorosamente enviado para bebês poderem compreender.
:)